A Secretaria Municipal de Educação realizou Workshop sobre educação

0
A Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) realizou Workshop sobre Educação. O encontro é uma parceria com o Instituto Alfa e Beto (IAB) e aconteceu durante dois dias 28 e 29, no Centro de Formação Professor Odilon Nunes, envolvendo diretores, professores e coordenadores pedagógicos em dois momentos.
No segundo dia do evento participaram do encontro professores e coordenadores da Educação Infantil que atuam com o IAB, com o tema “Autocontrole, agressividade, transição de atividades e desenvolvimento Infantil, ministrada pela a professora Denise Rocha. Já durante a tarde diretores e coordenadores de escolas que atuam com o Galáxia Alfa participaram de atividade sobre Inclusão Digital.
????????????????????????????????????

????????????????????????????????????

O encontro tem como objetivo trazer algumas reflexões, provocando o público que trabalha com o programa do Instituto Alfa e Beto nas escolas, que são diretores, professores e coordenadores, promovendo a troca de experiências e fomentando a cooperação em diferentes níveis de atuação profissional, como saúde, educação e economia, contribuindo para o desenvolvimento científico e técnico da área.
Para Gardênia Portella Gerente de Educação Infantil da Semec o projeto em parceria com o Instituto Alfa e Beto vem proporcionando bons resultados. “As ações do projeto acontecem em 80 Centros Municipais de Educação Infantil de Teresina e este é o segundo ano de atividades. Este encontro levantou aspectos sobre o desenvolvimento infantil, proporcionando aos professores, diretores e coordenadores pedagógicos um maior envolvimento no entendimento de situações de autocontrole entre as crianças de 3 a 6 anos”, explica Gardênia.
Segundo Denise Rocha professora e psicóloga, especialista em educação infantil e intervenções de apoio ao trabalho docente com crianças pequenas o encontro auxilia os professores a identificarem situações diferenciadas entre as crianças. “É possível identificar comportamentos como agressividade física ou verbal (a criança bate, chute e/ou xinga); desejos constantes a serem saciados a todo custo não sabendo lidar com a negação; necessidade de serem vistas pela família (querem chamar a atenção em busca de solucionar uma possível carência afetiva), após a identificação desses e outros aspectos fica mais fácil lidar com as diferenças, possibilitando aos professores maneiras de trabalhar com essas crianças”, finaliza.
Share.

Deixe seu comentário